Maria Aparecida: Primeira mulher eleita para Câmara de Itapevi

0
1470

A conquista feminina na política é uma construção de mais de um século. Em fevereiro de 1934, foi publicado o primeiro Código Eleitoral do Brasil, que eliminou algumas restrições, mas apenas facultou o voto às mulheres. O alistamento e o voto só passaram a ser obrigatórios definitivamente na Constituição de 1946.

Não faltaram mulheres neste longo processo para conquista do voto feminino em diversas cidades brasileiras.

Vereadora Maria Aparecida durante sessão na Câmara de Itapevi

Em Itapevi, a primeira mulher a conquistar uma cadeira na Câmara Municipal foi a contabilista Maria Aparecida Franco, na 3ª Legislatura (1969/1972). Eleita vereadora pelo partido da Aliança Renovadora Nacional (ARENA), Maria Aparecida foi a primeira voz feminina a ser ouvida na Casa de Leis itapeviense.

No período, a pioneira na vereança defendia projetos destinados a melhora da qualidade de vida dos itapevienses nas áreas da saúde, educação, moradia, saneamento básico e transporte. O trabalha da vereadora resultou em sua reeleição para 4ª Legislatura da Câmara (1973/1977).

Após a passagem da Maria Aparecida pela Câmara, os eleitores de Itapevi elegeram nove mulheres até a atual legislatura: Benedita Morelli Franci (1989/1992), Maria Ruth Banholzer (1993 /1996 e 1997/2000), Geone Xavier Pereira (1993/1996), Norma Lucia Ribeiro de Souza (1997/2000 e 2001/2004), Aparecida Luiza Nasi Fernandes (2001/2004), Sonia Regina Oliveira Salvarani (2001/2004, 2005/2008 e 2009/2012), Camila Godói (2013/2016 – 2017/2020), Inácia dos Santos (2013/2016), Tininha (2013/2016 – 2017/2020) e Mariza (2017/2020)

Certificado de reconhecimento

Em reconhecimento ao pioneirismo da Maria Aparecida, os vereadores criaram uma horaria com o seu nome, o Certificado de Reconhecimento Vereadora Maria Aparecida Franco, destinado às mulheres que tenham se destacado no município profissionalmente ou prestado trabalhos relevantes na área social.