Câmara aprova projetos em caráter de urgência

0
730

A Câmara Municipal de Itapevi apresentou na terça-feira (29) em sessão extraordinária, dois Projetos de Lei. A solicitação feita em caráter urgente pelo presidente da casa, Luciano de Oliveira Farias – Bolor (PV), após a sessão ordinária foi devido à suma importância dos projetos.

O primeiro projeto a ser discutido e aprovado foi o 016/2011 de autoria dos vereadores Luciano de Oliveira Farias e Marcos Ferreira Godoy – Teco, ambos do PV que autoriza o Poder Executivo a instituir o Dia do Capelão no município de Itapevi. A data proposta pelos seus idealizadores a ser comemorada é dia 07 de abril, por isso, a urgência e a preocupação dos vereadores em estar votando o projeto.

Os vereadores parabenizaram os autores do projeto e enfatizaram o papel de grande importância que a Capelania exerce no município. Com admiração, ressaltaram que o trabalho dos capelões não se resume só aos guardas – municipais, se estende as demais cidades e vai além, em prol da causa humanitária.

O projeto de Lei 017/2011 que dispõe sobre a Revisão Geral de Vencimentos dos cargos que compõem q estrutura administrativa da Prefeitura de Itapevi teve um parecer favorável de todos os vereadores. O vereador e líder da prefeita na casa, Fláudio Azevedo Limas (PT) declarou o aumento ao funcionalismo público de 13%. Indagou que “os trabalhadores receberão os seus holerites, a partir de 01 de abril, para receber no dia 01 de maio, dia do trabalhador”. Mesmo com o voto favorável, o vereador Igor Soares Ebert (PP), falou que vai apresentar um requerimento solicitando um estudo ao Executivo se existe a possibilidade de um aumento um pouco maior.

Os vereadores Rouberval Luis Mendes da Silva (PP), Paulo Rogiério de Almeida (PTB) e Adilson Peres (PT) questionaram que se vier um requerimento solicitando um aumento maior, eles aprovarão. Já o vereador Claúdio Dutra Barros (PT) também com o voto favorável fez um alerta sobre a Lei de responsabilidade fiscal, que se por agrado aos funcionários o prefeito (a) der um aumento além do que é possível, ele responde por improbidade administrativa, o que gera cassação do seu mandato.

Por fim, os vereadores Marcos Ferreira Godoy – Teco (PV) e Júlio César Portela (PP) falaram da importância do projeto ter sido votado em caráter especial, de urgência em respeito e em busca de melhores condições ao funcionalismo público municipal.