Câmara aprova projeto de lei que proíbe a comercialização das pulseiras do sexo

0
392

A Câmara Municipal de Itapevi aprovou nesta terça-feira, 4 de maio,  o projeto de lei de autoria do vereador Julio Cesar  Portela  (PP) que proíbe o uso e comercialização das pulseirinhas coloridas, conhecidas como “pulseiras do sexo”.

O projeto prevê proibição no âmbito do município de Itapevi a comercialização das pulseiras, bem como sua utilização na rede de ensino pública e privada.  O projeto também determina a promoção de reuniões com pais de alunos, para orientações em relação a questões sexuais e de violência.

As pulseiras coloridas de silicone eram, aparentemente, um modismo inocente que se espalhou entre os jovens estudantes de todo o país. O sinal de alerta em relação ao adereço para pais e educadores foi um jogo com conotação sexual. Cada cor representa um ato afetivo ou sexual, que vai desde um abraço a relações sexuais completas. De acordo com as regras do jogo, quem teve a pulseira arrebentada precisa cumprir o que determina a cor.

“De acordo com a Constituição Federal, artigo 227, é dever da sociedade proteger crianças e adolescentes de todas as situações que coloquem em risco sua integridade física e psíquica, assim há necessidade de se tomar uma providência para coibir a utilização dos adereços que tem conotação sexual e invadiram os ambientes educacionais”, justificou Portela.